14 de março de 2013

Resenha A Casa do Penhasco - Agatha Christie



Ficha Técnica
Título: A Casa do Penhasco
Autor: Agatha Christie
Páginas: 220
Editora: Nova Fronteira







"... estou convencido de que o bom Deus criou Hercule Poirot deliberadamente para que ele interfira nas coisas..."
Diante desta humilde constatação do detetive Poirot, inicio a resenha de mais um dos livros de uma das minhas autoras preferidas.
Agatha Christie, assim como Danielle Steel e Sidney Sheldon foram os autores que me impulsionaram de verdade para o mundo dos livros. Aos catorze anos, depois de ler inúmeros livros da Coleção Vagalume, passei a buscar livros com temáticas diferentes e me deparei com esses três autores que ao final, se tornaram a base para as minhas leituras.
Mas voltando a Agatha Christie, em a Casa do Penhasco, a autora nos apresenta novamente uma história fascinante em que mais uma vez nosso amado e humilde detetive belga Hercule Poirot tem que desvendar um mistério antes que seja tarde demais.
Neste livro, nosso amigo Poirot se encontra aproveitando de sua aposentadoria ao lado do seu fiel companheiro (que por sinal, por algumas vezes é comparado a um cão fiel), Coronel Arthur Hastings em uma cidade do interior da Inglaterra chamada Saint Loo. Em dado momento ambos conhecem a jovem Nick Buckley e a partir daí a história começa a se desenvolver.
Nick vem sendo vítima do que para ela são acidentes, mas que para Poirot são claras tentativas de assassiná-la. Começa então uma grande empreitada do detetive e de seu amigo Hastings para salvar a vida da bela jovem.
Através de uma narrativa fluida, como é de característica de Agatha Christie, vamos nos deparando com personagens e situações extremamente suspeitas e que nos levam a imaginar quem seria o criminoso que está tentando dar fim à vida de Nick. No decorrer da história me peguei imaginando várias possibilidades, mas já no final passei a quase ter certeza de quem era o responsável pelos atentados. Até que eu acertei o palpite do assassino, porém nunca iria imaginar os motivos apresentados pela autora.
Agatha Christie mais uma vez me surpreendeu e me fez muito feliz. Estou muito grata a Lais que disponibilizou o livro para viajar através do Skoob e me proporcionou mais uma leitura deliciosa da eterna diva do romance policial.

"- Faz doer o coração, não é, meu amigo? Uma tragédia tão inútil, tão sem propósito. Essa jovem assassinada... Eu me recrimino amargamente. Eu, Hercule Poirot, em pessoa, estava lá e não impedi o crime".