25 de março de 2013

Resenha O Lado Bom da Vida - Matthew Quick




Ficha Técnica
Título: O Lado Bom da Vida
Autor: Matthew Quick
Páginas: 256
Editora: Intrínseca






Pat Peoples acaba de sair de uma instituição psiquiátrica e acredita que agora terá a oportunidade de ter o seu final feliz com sua esposa Nick. Pat e Nick estão em um "tempo separados" que ele acredita que acabará em breve, afinal a mulher irá constatar que ele vem mudando suas atitudes para se tornar uma pessoa melhor.
No decorrer da história nos deparamos com momentos hilários, emocionantes e tensos. Pat precisa provar para as pessoas que está apto a conviver em sociedade ao mesmo tempo que precisa provar a si mesmo que pode e consegue ser feliz.
Os melhores momentos do livro são os que Pat está com os torcedores do time de futebol Eagles ou com Tiffany, uma mulher marcada pela trágica morte de seu jovem esposo.
A forma como a história tanto de Pat quanto de Tiffany nos é apresentada é singularmente perfeita, confesso que fiquei mio receosa ao me deparar com uma narrativa em primeira pessoa, já que prefiro livros narrados em terceira pessoa, onde o autor nos demostra ser onisciente de todos os fatos. Porém, Matthew Quick me fez morder a língua, e a cada página virada eu me apaixonava mais pelo livro.
Os relacionamentos de Pat que nos são expostos acabam por evidenciar a fragilidade dos relacionamentos humanos, nos faz pensar em como é difícil viver da maneira que os demais integrantes da sociedade acredita que seja correta.
Quick nos instiga a sentir pena de Pat e Tiffany pelo desequilíbrio mental de ambos, mas também faz-nos sentir horrorizados pela forma com que as pessoas ditas normais acabam lidando cm o fato de ter alguém mentalmente desequilibrado em seu convívio.
A luta de Pat para se tornar a pessoa que a esposa gostaria que ele fosse é apresentada de maneira fantástica e sem nunca perder o tom de humor. Quando o autor expõe o fato de Pat se arrepender por ter batido em um torcedor do Giants, time adversário dos Eagles, pensei nas coisa estúpidas que torcedores brasileiros vem fazendo há anos. Mas também me emocionei ao ser apresentada às cenas de camaradagem e união dos torcedores dos "birds".
A parte que mais gostei do livro é quando Pat nos mostra a montagem de parte de seu filme (como chama sua vida agora), as ocasiões em que ele e Tiffany estão ensaiando para uma apresentação de dança, a forma como ele relata os ensaios é hilária.
Por fim, Quick nos presenteia com uma história cuja moral deveria se tornar premissa de todos, é necessário que deixemos de ser tão pessimistas (falou a pessimista de plantão...), porém é preciso ter em mente que as coisas nem sempre dão certo e que precisamos encarar as situações e seguir em frente.