19 de março de 2013

Resenha Equilibrium



Ficha Técnica
Título: Equilibrium
Direção: Kurt Wimmer
Elenco: Christian Bale, Emily Watson, Taye Diggs, Angus Macfadyen
Ano: 2002
Gênero: Ficção Científica






Essa história distópica se passa em um momento que a humanidade acaba de enfrentar uma terceira guerra mundial. Para que se evite uma quarta guerra, a elite que rege essa nova sociedade obriga a população a tomar uma droga que anestesia as emoções. Segundo o governo totalitário as emoções seriam a causa das tensões sociais.
Para garantir que a população efetivamente consuma a droga e para que os rebeldes sejam eliminados, existe o Clero Grammaton, cuja tarefa é procurar e erradicar qualquer coisa que possa influenciar as emoções humanas.
John Preston (Christian Bale) é um sacerdote do Clero que após ficar um dia sem tomar a droga passa a sentir emoções e começa a questionar a lei imposta pelo governo. Após o momento em que John executa uma pessoa próxima a si por ter infringido as regras, o sacerdote passa a auxiliar os rebeldes e a lutar contra o regime.
Embora alguns críticos comparem Equlibrium à Matrix mesmo que deixando muito claro as diferenças entre os filmes, o primeiro carece daquele "than" que o público espera. Equilibrium é um filme com roteiro sólido e até certo ponto verossímil,  porém com atuações fracas e cenas de ações que deixam a desejar. A premissa do enredo é interessante, mas deixa no espectador a sensação de que poderia ter sido mais bem explorada.
Eu particularmente não recomendo e alerto principalmente aqueles que acreditem que irão assistir um filhote de Matrix.